Home

Últimas Notícias

Túmulos são vandalizados com suásticas nazistas e frases de “morte aos judeus” na França

Nenhum comentário MUNDO CRISTÃO

Túmulos são vandalizados com suásticas nazistas e frases de “morte aos judeus” na França

Cerca de 20 sepulturas de um cemitério na França foram vandalizadas com suásticas e pichações de palavras como "Morte aos judeus" e "Morte aos franceses", informou a Agência Telegráfica Judaica na quinta-feira.

As lápides foram vandalizadas no domingo no cemitério municipal de Gruissan, na região de Aude, e parecem ter sido escolhidas aleatoriamente. Nenhum deles foi quebrado ou destruído, informou a televisão France 3.

As autoridades estão investigando o incidente e o cemitério está atualmente fechado ao público. Nenhum suspeito foi identificado.

O Departamento Nacional de Vigilância Contra o antissemitismo disse em comunicado que o vandalismo foi surpreendente.

"Esta comuna de Gruissan, cidade litorânea, geralmente é bastante calma, bastante pacífica, e essa agressão nos surpreende e nos escandaliza", disse o grupo.

“Pedimos à Polícia e à Gendarmaria [força policial local] que façam todos os esforços para identificar os autores provavelmente de ativistas racistas e antissemitas, covardes ao ponto de atacar sepulturas e que dedicam a França às suas instituições aos seus valores republicanos, em sua memória uma feroz ideologia de ódio", acrescentou.

O vandalismo ocorre após relatos do e um antigo cemitério judeu ter sido alvejado de maneira semelhante na França.

A Associação Judaica Européia (EJA) disse no domingo que as sepulturas foram profanadas em Heiliger Sand ("Areias Sagradas" em alemão) em Worms, Alemanha. Milhares de pessoas visitam este túmulo todos os anos e as lápides mais antigas e reconhecíveis datam de 1058.

A imprensa estima que 50 a 100 sepulturas foram vandalizadas na época.

Esses incidentes ocorrem em meio a uma nova onda de antissemitismo durante a pandemia de coronavírus, alertam os especialistas.

"A história é bastante sombria", diz Gary Bauer à CBN News. Ele é um dos nove comissários da Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos EUA (USCIRF), que monitora e promove a liberdade religiosa no exterior e faz recomendações ao governo Trump.

Em 2019, os incidentes antissemitas aumentaram acentuadamente em toda a Europa. A Alemanha teve um aumento de 12%. A França, que abriga a maior população judaica da Europa, sofreu um aumento de 27%, e a Holanda, antiga casa da autora do diário do Holocausto, Anne Frank, sofreu uma alta de 35%.

"O antissemitismo é como um tipo de coronavírus do coração e da alma. Parece capaz de sofrer mutações. Aparece em todos os lugares, em todos os séculos, e parece ir em ondas, e, infelizmente, estamos experimentando uma dessas ondas agora ", disse Bauer.

Do site GUIA-ME

LEIA TAMBÉM

Total
1
Share