Home

Últimas Notícias

Terroristas executam homens em vídeo com mensagem aos cristãos: “Se voltem para Alá”

Nenhum comentário MUNDO CRISTÃO

Terroristas executam homens em vídeo com mensagem aos cristãos: “Se voltem para Alá”

Terroristas islâmicos executaram cinco homens no estado de Borno (Nigéria), em um vídeo no qual um dos carrasco disse que aquele era um aviso para "todos aqueles que estão sendo usados ​​por infiéis para converter muçulmanos ao cristianismo". As imagens foram divulgadas nesta quarta-feira (22 de julho).

Três dos homens mortos a tiros por trás no vídeo foram identificados como cristãos por um morador do estado de Borno, onde as execuções aparentemente ocorreram.

No vídeo de 35 segundos postado no YouTube pela Eons Intelligence antes de ser removido, os três cristãos se ajoelharam de olhos vendados por um pano vermelho ao lado de outros dois que se acredita serem muçulmanos, enquanto cinco homens armados com fuzis AK-47 estão atrás deles.

"Esta é uma mensagem para todos aqueles que estão sendo usados ​​pelos infiéis para converter muçulmanos ao cristianismo", diz um dos carrascos na língua hausa, traduzido pela agência Morning Star News. “Queremos que vocês entendam que aqueles que estão sendo usados ​​para converter muçulmanos ao cristianismo estão sendo usados ​​apenas para fins egoístas”.

"E essa é a razão pela qual, sempre que capturamos vocês, eles não querem resgatá-los ou trabalhar para garantir sua libertação de nós; e isso é porque eles não precisam de vocês, nem valorizam suas vidas. Por isso, pedimos que vocês se voltem a Alá, se tornando muçulmanos. Continuaremos a bloquear todas as rotas que vocês viajam”, acrescentou. "Se vocês não prestarem atenção ao nosso aviso, o destino desses cinco indivíduos será o seu destino".

Após essa declaração, o carrasco então dá o comando: "Bisimilah [Continue]", e os cinco homens são mortos a tiros.

Depoimentos

Um morador de Borno (nome oculto por razões de segurança) identificou três dos mortos como cristãos. Ele disse que Ishaku Yakubu, um trabalhador humanitário de Chibok da ‘Action Against Hunger’ (‘Ação Contra a Fome’), era membro da Igreja dos Irmãos (EYN); Luka Filibus, um trabalhador humanitário de Monguno no Comitê Internacional de Resgate, também era membro da EYN; e Joseph Prince, um trabalhador de empresa privada de segurança, era membro da Igreja Cristã Redimida, em Maiduguri.

Em um vídeo anteriormente gravado em 21 de junho, Prince e Filibus identificaram seus captores como membros do Khalifa, um termo usado por cativos anteriores para se referir a um grupo dissidente do Boko Haram, o Estado Islâmico na província da África Ocidental (ISWAP).

No vídeo anterior, Prince diz: "Meu nome é Joseph Prince e sou membro da equipe da Halogen [uma empresa de segurança privada]. Eu estava viajando de Maiduguri para Monguno em serviço oficial em 1º de junho de 2020, quando fui capturado pelos soldados do Khalifa às 11h37. Hoje, 21 de junho de 2020, data em que este vídeo está sendo gravado, ainda estou refém. Peço à minha organização que garanta minha libertação”.

No vídeo anterior, Yakubu diz: “Meu nome é Ishaku Yakubu e trabalho com a ‘Ação Contra a Fome’. Fui capturado em 8 de junho de 2020, enquanto viajava de Monguno para Maiduguri. Peço à minha organização, ‘Ação Contra a Fome’, que gentilmente garanta minha libertação”.

Filibus, a terceira vítima cristã, no vídeo anterior diz: “Meu nome é Luka Filibus, e trabalho com o Comitê Internacional de Resgate na área do governo local de Munguno. Fui capturado por soldados do Khalifa em 3 de junho de 2020, enquanto estava a caminho de Maiduguri. Peço à minha organização, Comitê Internacional de Resgate, que gentilmente garanta minha libertação”.

A Ação Contra a Fome e o Comitê Internacional de Resgate confirmaram a morte de seus trabalhadores em declarações à imprensa, condenando as execuções.

Palavras do presidente Buhari

Uma declaração do presidente nigeriano Muhammadu Buhari indicou que os outros dois homens executados trabalhavam com a Agência Estadual de Gerenciamento de Emergências da Nigéria e uma empresa chamada Rich International.

Por meio do porta-voz Garba Sheu, Buhari enviou condolências às famílias dos mortos e disse que o governo fará todo o possível para garantir que "todo vestígio restante do Boko Haram seja exterminado completamente do nordeste da Nigéria".

"O presidente Buhari também presta assistência à Agência Estadual de Gerenciamento de Emergências, ao Comitê de Ação Contra a Fome, à Rich International e ao International Rescue, cujos funcionários sofreram esse destino horrível", disse Sheu. "Ele agradece a eles por sua dedicação e serviço contínuos às vítimas do Boko Haram no nordeste da Nigéria".

Genocídio

Em 30 de janeiro, a organização ‘Christian Solidarity International’ (CSI) emitiu um alerta de genocídio para a Nigéria, pedindo ao membro permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas que tome medidas. A CSI emitiu a ligação em resposta a "uma maré crescente de violência dirigida contra cristãos nigerianos e outros classificados como ‘infiéis’ por militantes islâmicos nas regiões norte e média do país".

A Nigéria ficou em 12º lugar na Lista Mundial da Missão Portas Abertas para 2020 dos países onde os cristãos sofrem mais perseguições, mas em segundo lugar no número de cristãos mortos por causa de sua fé, atrás do Paquistão.

Do site GUIA-ME

LEIA TAMBÉM

Total
1
Share