Home

Últimas Notícias

Legislação de aborto é suspensa por pressão de ativistas pró-vida, no Quênia

Nenhum comentário MUNDO CRISTÃO

Legislação de aborto é suspensa por pressão de ativistas pró-vida, no Quênia

O Projeto de Lei de Saúde Reprodutiva 2019 permite o aborto até o nascimento, estendido às adolescentes, e ameaça os profissionais de saúde com pena de prisão caso não encaminhem uma mulher elegível para um aborto.

Seguindo a pressão pública, o comitê que examina o projeto de lei que facilita e estende o aborto disse que todo o debate será temporariamente interrompido até que "todas as questões contenciosas sejam resolvidas com a participação do público". O atraso deve durar pelo menos três meses.

A campanha contra a lei proposta foi liderada por Ann Kioko, uma trabalhadora comunitária que aconselhou mulheres que fizeram aborto. “Não se fala desse outro lado do aborto. O aborto fere as mulheres”, diz.

Kioko lançou recentemente uma campanha contra o projeto de lei, incluindo uma petição que reuniu mais de 26.000 assinaturas.

Ela não acredita que o projeto de lei reflita “os valores defendidos pela maioria dos quenianos”, mas alertou que o atraso foi apenas “uma meia vitória para os pró-vida”.

'Direito à vida'

Falando na Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher em 2019, Kioko explicou que “o aborto não leva ao empoderamento”.

Ela disse, em vez disso, as mulheres “precisam de centros de saúde totalmente equipados, precisam de boas escolas, precisam de roupas, precisam de comida na mesa”.

A ativista pró-vida também está preocupada que o projeto de lei do aborto tente legalizar a educação sexual, que ela diz defender “homossexualidade para crianças, masturbação e até sexualização de crianças”.

Chris Wamalwa, um parlamentar queniano, também se manifestou contra a legislação proposta. Em pé do lado de fora do Parlamento queniano em Nairóbi, ele disse: “A vida começa na concepção e todo ser humano merece o direito à vida”.

Do site GUIA-ME

LEIA TAMBÉM

Total
1
Share