Home

Últimas Notícias

Descobertas arqueológicas podem provar relato bíblico sobre a batalha de Jericó

Nenhum comentário MUNDO CRISTÃO

Descobertas arqueológicas podem provar relato bíblico sobre a batalha de Jericó

A Batalha de Jericó, conforme descrita no Livro de Josué da Bíblia, marcou a primeira batalha travada na conquista de Canaã pelos israelitas. A batalha é famosa pela queda triunfante das muralhas de Jericó, provocada pela marcha de israelitas tocando suas trombetas. No entanto, fora da Bíblia, há um debate feroz sobre se as muralhas de Jericó, que ruíram no tempo descrito pelo Antigo Testamento.

O local histórico de Jericó está localizado no leste da Palestina, no que é conhecido como Tell es-Sultan ou Tel Jericho.

As escavações arqueológicas na antiga Jericó foram inconclusivas como um todo, com especialistas publicando relatórios mistos ao longo dos anos.

Arqueólogos como William Gwinn Dever, por exemplo, apelidaram a queda de Jericó como um relato fictício.

Outros, como a arqueóloga britânica Kathleen Kenyon, sugeriram que existem imprecisões históricas no relato do Antigo Testamento.

Mas o professor Tom Meyer, especialista em idiomas do Oriente Médio da Faculdade Bíblica Shasta e da Escola de Pós-graduação. na Califórnia, EUA, acredita que diversas pistas e descobertas arqueológicas podem ajudar a comprovar a narrativa bíblica.

O professor Meyer disse ao jornal ‘Express.co.uk’: "Jericó, embora pareça uma cidade comparativamente pequena para nossos padrões modernos, era uma cidade cananeia antiga muito forte e protegida. Sua destruição foi essencial para os israelitas, depois de atravessarem o rio Jordão, para avançar rumo a Canaã”.

"A queda de Jericó em 1400 aC é um excelente exemplo de evidência textual e arqueológica que pode colaborar com o texto bíblico", acrescentou.

Relato bíblico

Segundo a Bíblia, os israelitas marcharam rumo às muralhas de Jericó com a Arca da Aliança em completo silêncio por seis dias.

Então, no sétimo dia, marcharam sete vezes e, no sétimo passo, os sacerdotes tocaram suas trombetas e os soldados gritaram diante as muralhas para derrubar as fortificações.

O professor Meyer disse: "Segundo a Bíblia, a ordem dos eventos foi que primeiro, as muralhas caíram, depois a cidade foi queimada e, finalmente, foi abandonada. Todo arqueólogo que escavou Jericó chegou à mesma conclusão”.

"Sobre o muro de contenção de pedra da época de Josué — partes das quais ainda podem ser vistas hoje — havia outro muro de tijolos de barro”, acrescentou.

Escavações na antiga Jericó revelam provas sobre a queda da cidade em batalha que entram em acordo com relato bíblico. (Foto: GETTY Images)

Meyer destacou que os arqueólogos também comprovaram a existência desse primeiro muro e a queda do mesmo.

"Segundo os arqueólogos, a parede de tijolos de barro caiu para fora e para baixo até a base da parede de pedra fundamental. Os arqueólogos que cavaram na base do muro de pedra encontraram uma pilha de tijolos de barro avermelhados ao longo de toda a parte do muro de pedra que desenterraram", explicou.

Um diagrama dos tijolos caídos pode ser encontrado nos relatórios de escavação de Kathleen Kenyon.

Segundo o professor Meyer, a antiga Jericó é o único lugar onde os arqueólogos encontraram um muro que desabou completamente.

O especialista da Bíblia disse: "O muro caído formou uma rampa para os soldados israelitas subirem e incendiarem a cidade. Os arqueólogos também encontraram evidências de uma destruição maciça por fogo — com cerca de um metro de profundidade — do mesmo período”.

"Na camada de queima de um metro e meio de espessura, os arqueólogos John Garstang e mais tarde Kathleen Kenyon encontraram espaços com muitas cinzas, madeiras de telhado que desabaram e grandes depósitos cheios de grãos”, relatou. "Isso é significativo, porque Josué não apenas ordenou aos soldados que não invadissem a cidade caída, mas a Bíblia afirma que os israelitas invadiram Canaã na época da colheita”.

Sequência dos fatos

Meyer então continua apontando outras peças desse aparente “quebra-cabeça”.

"A camada de terra ausente de estruturas que estava no topo da camada de cinzas mostra que a cidade foi abandonada por um longo período de tempo. O relatório de todo arqueólogo mostra que primeiro os muros desabaram, depois a cidade foi incendiada e, posteriormente, a cidade foi abandonada, como afirma a Bíblia", explicou.

Segundo a UNESCO, Jericó antiga está entre as mais antigas cidades conhecidas da Terra, com escavações arqueológicas revelando 23 camadas de civilizações antigas no local.

Relatos históricos alternativos da queda de Jericó propõem que a cidade foi destruída por volta de 1500 aC pelas forças egípcias.

O radiocarbono datado de 1995 sugere que a cidade caiu em algum momento entre os séculos XVII e XVI aC.

O professor Meyer, também conhecido como ‘The Bible Memory Man’ (‘O Homem da Memória da Bíblia’), é um pesquisador, palestrante e professor universitário que conseguiu memorizar mais de 20 livros da Bíblia.

Do site GUIA-ME

LEIA TAMBÉM

Total
1
Share